fbpx

CORONAVÍRUS:
A estratégia nossa de cada dia

Em um momento de grave crise, como o que atravessamos agora, alguns comportamentos se sobressaem para o bem e para o mal. Grandes exemplos de solidariedade e de irresponsabilidade aparecem todos os dias na mídia e nas redes sociais. Não podemos deixar que isso tire nossa clareza para avaliar o melhor caminho a tomar, salvando o maior número possível de vidas – em todos os sentidos.

O aspecto econômico e o aspecto epidemiológico da pandemia de coronavírus existem dentro da mesma realidade, não podem ser dissociados. As estratégias para amenizar danos nas duas áreas devem andar juntas, visto que as próprias áreas andam juntas. Os danos que impactarem a economia como consequência da crise repercutirão na saúde pública, e vice-versa. Sem saúde, o trabalhador não pode produzir. Sem trabalho, o cidadão não tem como manter a saúde. Não há vencedores nesse jogo, só um empate nefasto.

As circunstâncias exigem que as estratégias sejam repensadas não apenas em curto prazo, mas diariamente. As medidas do Ministério da Saúde até aqui foram acertadas, e, por isso, temos fôlego para avaliar as evidências mundiais, aplicar o que pode funcionar no Brasil (levando em conta suas características únicas) e avaliar o que deve ser reformulado.

Lockdown horizontal? Que atividades devem parar e quais podem ser mantidas? Já podemos pensar na retomada da economia de forma que não atrapalhe o combate à epidemia? Qual o melhor momento para realocar recursos monetários e humanos? A fase de imunização coletiva ou em rebanho pode ser implantada sem prejudicar os grupos de risco? Essa é a avaliação que nossas autoridades devem fazer diariamente.

O que é fundamental, agora, é transmitir essas decisões à população de forma que ela siga as orientações sanitárias e não entre em pânico por seu futuro profissional e econômico. É certo que o mundo mudará depois desta crise, mas precisamos buscar o delicado equilíbrio entre saúde e economia para que, na medida  a vida continue.

 

Dr. Eduardo Trindade
Doutor em Medicina e presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers)

TOPO
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support